Publicado em

Gratidão e amor…

Hoje tive o privilégio de participar do Chá do Guilherme preparado com muito carinho pela mamãe Lúcia!

A Lúcia é daquelas pessoas que materializa o AMOR naquilo que faz, tem um coração gigante e faz do mais simples o mais belo!

Gratidão é uma palavra muito usada por ela e vem do mais fundo do seu coração e eu sou muito grata por ter pessoas assim como a Lúcia na minha vida…

A Gratidão gera uma corrente de emoções positivas, que beneficia tanto aqueles que a expressam como os que a recebem… é a expressão do amor e quanto mais damos, mais recebemos o AMOR… quanto mais somos gratos mas sentimos as graças recebidas…

O exercício da gratidão nos faz sentirmos VIVOS, nos faz olhar o mundo com o filtro do amor e para mim é fundamental para seguir em frente, praticar o bem e recebê-lo também!

Muita gratidão Lúcia, por você materializar tanto amor sempre…
Muito obrigada minhas amigas, que estavam hoje lá vivendo esse momento tão especial na vida da Lúcia e do príncipe Guilherme…
Muita gratidão Deus, por tantas graças em minha vida…
Muita gratidão…
Muita gratidão sempre!

E você já pensou em tudo que você deve ser grato hoje?

Publicado em

A Metamorfose contínua

Nosso desejo é contínuo em direção à felicidade: queremos encontrar aquilo que nos permita SER e ESTAR em comunhão com a felicidade.

Contudo, esquecemos que nós mesmos não somos os mesmos: do ponto de vista de continuidade mudamos a todo segundo – Aquele que desejou algo não é mais o mesmo após algum tempo.

Daí minha intenção de falar sobre a metamorfose: não somos os mesmos nunca. Aquele ou aquela que proferiu determinada sentença não é mais o mesmo após proferida.

Mais fácil de enxergar quando olhamos para aquilo que determinamos como sendo nosso lado obscuro e mal, tal qual Levy:

O mal jamais confessa que é o mal. Apresenta-se impassivelmente com a aparência do bem. É exatamente como um partido político totalitário: quer dominar mas só fala de “libertação”.

Mente e não pára de proclamar sua boa-fé e tratar os adversários como mentirosos. Prende-o em suas garras para destruir sua alma: primeiro, o faz cuspir naquilo que você mais gosta (a começar por você mesmo); depois, isola-o, torna-o dependente, amedronta-o, joga com todas as suas fraquezas para, por fim, fazer com que você se despreze.
Destrói tanto sua auto-estima, que você nem mais se lembra de que a liberdade existe.

Mudar não é nem uma virtude, e, muito menos, um vício (ou defeito). É uma constatação de nossa natureza.

A dúvida que me faço, todos os dias, é:

Gosto desta minha versão?

 

Publicado em

A Verdade do fim de um ciclo

Sobre encerrar um ciclo

Decidimos seguir um caminho espiritualizado porque acreditamos num tipo de invulnerabilidade, daqueles que nos farão imunes às dores deste plano. Uma perda de tempo, mas, ao mesmo tempo uma benção.

Perda de tempo pois não existe nada assim aqui: somos vulneráveis aos nossos sentimentos e pensamentos.

Uma benção porque a jornada termina muito diferente do que pensávamos.

O que encontramos no fim (de um ciclo, de uma jornada, pouco importa) não é aquele parque de diversões dos desenhos do pica pau e, sim, uma nova oportunidade de recomeçarmos. Tudo que tem um início tem um fim.

Por que fazemos assim?

Porque para viver a vida de verdade precisamos estar presentes em plenitude, estarmos sensíveis à tudo o que este plano nos oferece e, desse modo, estarmos pela metade não nos permitiria isso. Sermos vulneráveis é a melhor estratégia para nos REconhecermos como humanos. Obter nossa própria compaixão.

De um Mestre:

Quanto mais abrimos o coração, mais sentimos o sofrimento (o nosso e o dos outros: só há um) e menos alimentamos os mecanismos que o sustentam.

Não olhe para o que você vê. Sinta o que a visão faz no seu coração.

Em verdade esse desejo que temos à insensibilidade (não quero que doa, não quero que magoe, não quero chorar, etc.) é o caminho mais rápido para os crimes que cometemos contra nós mesmos. A insensibilidade é o que molesta e mata toda a espécie humana. Não seja insensível nem a você, nem aos outros.

Nossa próxima etapa

Amanhã, Segunda feira, 24/07/2017, a Andi fará mais uma importante etapa no tratamento dela e gostaríamos de contar com sua prece, com seu bem querer, com suas boas vibrações e intenções.

Diz-se na tradição cristã que aqueles que têm o poder de sentir integralmente o seu sofrimento e o dos outros — de senti-lo a ponto de chorar por ele — têm o “dom das lágrimas”.

Só grandes santos e santas tiveram esse dom, tão maravilhoso quanto a graça do sorriso.

Publicado em

O Melhor que posso lhe oferecer

As vezes é:

Um sorriso

Sorrir é a expressão divina em sua plenitude. Sorri é a certeza da presença divina sem nem mesmo conhecê-lo. Sorrir é o agrado emocional que podemos oferecer de forma gratuita e sem nenhuma expectativa de retorno. É simples como respirar mas desperta o nosso melhor.

Uma palavra

Já sentiu aquela dificuldade de dizer algo pra alguém que você sabe que precisa que seja dito? Já né? É duro quando a voz não sai como a gente gostaria. Mas faça. Ás vezes apenas boa vontade já é suficiente para alegrar e encorajar o outro. Precisamos mais disso: encorajar os outros a vencerem a si mesmos e os desafios desse plano. Tente.

Uma reza

Não importa teu credo, sério mesmo. Rezar é acreditar que a força do teu pensamento e desejo podem mover montanhas. É comunicar-se com o teu Divino sem medo. É a certeza que a vida vai além do que teus olhos veem. É a energia que precisas para passar pelas durezas de um dia estafante. É o credo em ti mesmo.

Uma lágrima

Chorar é o passo que damos em direção ao nosso interior só que em sentido oposto: o que está dentro vem pra fora. As lágrimas que derramo representam a sinceridade que meu coração me permite expressar e que as palavras não podem alcançar. Lembro de muitas lágrimas, muitas das quais o sabor poderia ser amargo mas em verdade foram doces como apenas a serenidade pode ofertar.

Um suspiro

Reconhecer a importância de alguém em sua vida pode ser a maior gratidão que terás nesse plano: seja honesto consigo e com o outro – Um suspiro honesto, sincero e profundo pode representar mais do que mil palavras.

Um agrado

Sabe o que é um agrado? Te garanto que não. Não sabes. Nunca saberemos pois simplesmente não sabemos como o outro reagirá a qualquer ação que tomamos. Veja: muitas vezes uma simples roupa recolhida representa muito ao outro. A ti representa apenas alguns minutos de suor. Ao outro a certeza do respeito. Já fizeste isso por tua esposa? Digo assumiste a responsabilidade de algo que “não era” tua responsabilidade? E você já fez pelo seu marido? Pai? Mãe? Filho?

Um momento

Conheço pessoas que se completam pela simples presença. Sério. Já vi gente que não precisa falar absolutamente nada enquanto na presença do outro que lhe complementa. Basta estarem sentados num sofá, juntos, próximos, que isso já lhes basta para serem. Sequer precisam trocar palavras. Eu admiro isso de um jeito profundo e honesto.

Uma música

O que a música desperta em nosso espírito tem relação direta sobre como enxergamos o mundo, mas, confesso que as melhores e mais emocionantes foram ofertas a mim como presentes. Muitas delas sem nenhuma pretensão como a que ouço agora.

Publicado em

A Indulgência que não temos

Não se assuste com o que escrevo abaixo: ter sinceridade com os próprios sentimentos é o jeito correto de lidar com as próprias falhas e virtudes. Falar sobre perdão interno (e executar) me faz tão bem quanto perdoar outro – Atente para a importância disso em tua vida.

A indulgência é relacionada com a clemência, tolerância e perdão, pois todas essas qualidades derivam a partir do ato de absolver alguém de um castigo ou uma punição.

Etimologicamente, o termo indulgência se originou a partir do latim indulgentia, que significa “bondade”, “para ser gentil” ou “perdão de uma pena”.

A questão é que queremos evoluir, sempre. Desse modo nos exigimos em plenitude ou nos ressentimos em plenitude. Esquecer nossos erros não significa que nos perdoamos, apenas significa que colocamos uma pedra em cima da situação e, torcemos (em verdade rezamos), para que ele não volte a aparecer, mas, lamento informar, ele (o sentimento) retornará ainda mais forte e vigoroso para lhe cobrar a devida atenção. E nesse momento os juros serão geométricos.

No filme “Sete Vidas“:

Ben Thomas (Will Smith) é um agente do imposto de renda que possui um segredo trágico. Por conta disso, ele é um homem que tem um grande sentimento de culpa, o que faz com que salve as vidas de completos desconhecidos.

Obter ciência e conhecimento das nossas falhas, irritações, desconfortos e demais mazelas que nos tiram da zona de conforto é condição fundamental para limparmos nosso interior e deixar nossa melhor luz resplandecer. Mas quem quer lidar com tal tarefa?

Veja: cada vez que tomas partido em olhar pra dentro de si e trabalhar com essas mazelas tens a oportunidade de descobrir um pedaço de ti que ainda não sabias que estava lá. Aliás, as vezes sequer ele estava lá: sem o sincero e profundo reconhecimento das nossas constituições não podemos nos aprimorar. E nossa natureza é dinâmica. Somos isso ou aquilo com base no contexto que vivemos.

Como diz um dos Mestres:

A vítima e o carrasco queimam no mesmo inferno.

Sempre que você fica com raiva de alguém, cria um mundo de palavras duras, reprovações, cólera, sofrimento.

Perde a indulgência que tem por si mesmo.

Sempre que fica com raiva, você se irrita contra uma projeção de seu próprio ego, uma pessoa ou uma situação que você forja. É o jogo de espelhos, a ilusão que o leva a lutar contra si mesmo.

E assim percebes que a raiva que tens contra (a favor?) do outro em verdade é contra si mesmo – Apenas com transparente e profundo desejo de perceber e entender concordarás com isso. Mas creia: toda tua raiva contra outrem é, em último plano, contra tu mesmo.

Daí a imagem que temos dos Santos: estando eles em firme estado de prontidão e consciência, não necessitam do recurso da culpa a ninguém e, portanto, não acusam ninguém.

Seja assim santo: não culpe ninguém. Nem mesmo a você.

Pro fim, ainda do mestre:

Se vocês não são muito fortes, não deixem que as pessoas imersas no turbilhão auto-sustentado do sofrimento entrem em sua vida. Não deixem que elas tenham a menor influência sobre vocês.

Recusem seu poder. Mas não as acusem. Elas são inocentes.

Mesmo calculadoras, intrigantes e deliberadamente ardilosas, elas são inconscientes.

Presas na mecânica da acusação e da manipulação, insensíveis a seu próprio sofrimento e ao dos outros, anestesiadas, elas se destroem.

Mas não são “culpadas”.

 

 

 

Publicado em

O medo de seguir adiante: ele está ao teu lado e tens de ser ainda maior do que pensas que podes

Há um ano falei Sobre a impotência da companhia, ainda vejo esse texto como um bom texto para os acompanhantes daqueles que passam pelo que passamos.

De forma simples exprimi que a dor de acompanhar é a dor da impotência de realizar: nada do que o acompanhante faça mudará a realidade. É duro sentir e pensar assim, mas, é melhor que ilusão doutro pensamento.

Hoje

Caminhamos para mais uma etapa do tratamento: estamos chegando a ultima das etapas de procedimentos cirúrgicos – A próxima prótese será a definitiva (assim espero).

Esta nos custou muito para alcançar: desde custos emocionais a custos financeiros. Mas confesso a mim, nesse momento pouco importa. Me importa ver ela feliz, alegre, sorridente e acima de tudo vivendo uma vida que é ela quem faz, não uma enfermidade.

Conduzimos nossa vida baseados em nossas convicções, não em nossos medos. Quantos podem viver assim?

Sobre a foto deste post

Quando olho a foto deste post, inevitavelmente, lembro da pose que capturei há mais de um ano: essa foto me acompanha em todos os sonhos.

As vezes em alguns pesadelos.

Não tenho medo mas sei respeitar meus limites.

Você se conhece em todos seus limites?

Até onde podes ir?

Amanhã finalizaremos essa etapa

E estremos preparados para a próxima.

Você também estará?

Cada passo que damos juntos nos faz mais forte, mais certos que o caminho é este e que podemos contribuir com todos aqueles que estão ao nosso redor para serem cada vez melhores.

Paz, Saúde e Prosperidade é o que eu te desejo nesse exato momento.

Porque sei que é exatamente isto o que precisas.

Nem mais nem menos.

Estejas sempre abençoado com a alegria que apenas Ele pode te ofertar.

 

Publicado em

Sobre um ano

O Tempo

É uma invenção humana: nós precisamos “sentir o tempo passar” para saber que ‘caminhamos’.

Mas não passa disso: uma invenção de nosso intelecto. E ainda assim estamos presos a esta invenção.  Acordamos e dormirmos com seus desígnios – Acordar às 06:00 e dormir às 22:00 diria um médico qualquer para termos saúde.

Ele passa

E muitas vezes não nos damos conta que com ele passa também a vida. Se não dermos atenção a vida seremos zumbis de um tempo que, por ser finito, deveria ser intensamente aproveitado. RÁPIDO!!! Sua vida está chegando ao fim!

Enquanto dizes no fim do dia: “Obrigado por mais este dia” deverias lembrar também que que trata-se de um dia a menos na finitude da tua estadia.

Um ano ou 12 meses

Quando olho pra trás eu junto os pontos. Nada mais. Apenas olho os fatos e sentimentos que tive nesse prazo e sinto o quanto sou grato por tudo. Não posso ter outro sentimento.

Gratidão pelo imenso aprendizado que tive com todas as dores que senti. Com os amores que me fizeram seguir adiante, levantar todos os dias e ser melhor.

Muitas vezes as criaturas que me abominam estiveram maiores que de costume e em todos estes dias eu senti a mão forte e divina me carregando, especialmente nos dias em que não tinha mais energias (e nem vontade) lá estava o Divino me orientando e, principalmente, me fornecendo motivos para seguir adiante.

Desde quando meu Pai foi para o outro lado ou quando a Andi realizou um procedimento cirúrgico tudo isso me fez ver a vida de uma perspectiva mais ampla.

E com isso posto vivo aquilo que posso: o Instante. Nada mais.

Termino, como de hábito exaltando palavras de um mestre:

Você está em uma determinada situação. Você é essa situação.
Mas imagina que uma outra situação seria melhor, ou que essa mesma situação será melhor mais tarde, ou que ela era melhor antes, ou que outras pessoas gozam de uma situação melhor, ou que essa situação é apenas uma forma de conseguir outra.

Você já não está mais lá.
Ao fugir daquilo que chama de sofrimento ou ao perseguir aquilo que imagina ser a felicidade, você não vive a única vida que está à sua disposição, a do instante.

Publicado em

A névoa se dissipa…

Todo ato realizado na confusão adensa a confusão

Depois de cinco dias senti que tinha conseguido sair do meio da névoa.

Tudo estava do meu lado, na minha frente, ao me redor e eu não conseguia “enxergar” por causa da névoa que coloquei nos meus pensamentos.

A ansiedade e  a tristeza tomaram conta de mim e eu fiquei revoltada comigo mesma pois eu não tinha motivo algum para ter esses sentimentos.

Será que não tinha motivo? Será que precisa ter motivo?

Acredito ser importante entendermos como nossa mente funciona mas nem sempre teremos todas as repostas e eu tenho dificuldade em aceitar isso.

A “neurose” de uma pessoa é sempre uma limitação de sua força. Fabricamos para nós mesmos um mundo que nos impede de fruir e crescer. Somos nós que criamos as circunstâncias e as pessoas que viram nossos obstáculos.
A viagem consiste em conquistar nossa própria força, nos tornar quem de fato somos, ocupar por fim o centro do mundo, viver num universo feito por nós, que acolha e abençoe nossa alegria.
(Fogo Liberador)

Muitas vezes tenho a falsa sensação de que não posso sofrer, me irritar, etc,  pois tenho uma vida maravilhosa e isso gera mais angústia e torna-se um ciclo vicioso de pensamento negativos.

Simplesmente se nos permitirmos “sentir”, acolhemos o sentimento, não lutando contra mas aceitando e dissipando a energia negativa.

Saiba sentir a dor e o sofrimento para livrar-se dele. Tudo o que tu te recusas em veemência a sentir se materializa e te prende – Sem opções de fuga.

Agora tudo está claro mas devo lembrar que de tempos em tempos a névoa reaparece.

Publicado em

Sobre libertar-se do passado

Não sei

Não sei como tu te libertarás do teu passado – Mesmo porque ele não existe mais, está apenas nas tuas lembranças, e, como bem sabes, a natureza das tuas lembranças é diferente da “realidade“.

Contudo, de algum modo, terás de largar muito do que ainda carregas para poder ter uma nova vida.
O novo vem com o desejo e a ação para a mudança.
Quais tuas ações?

Com a gente

Passamos por tudo o que passamos (sabes que muito tem aqui no blog) da melhor forma que pudemos, e acho que atingimos um bom resultado: aprendemos e crescemos todos os dias no ano de 2016. Você nos ajudou: com pensamentos e orações – Obrigado!

Contudo

Em algum momento seria preciso estarmos prontos para a próxima jornada, e, acredito que estamos. Ela pode não ser bruta, muito menos extrema, mas pode nos exigir mais do que estamos habituados a entregar e, nesse modo, outras opções de vida podem ser mais importantes: tudo tem relação com nossas prioridades.

Enquanto

Acreditares que para deixar de sofrer precisarás esconder a dor, então, de forma perversamente planejada, ela voltará ainda mais forte e potente. Saiba sentir a dor e o sofrimento para livrar-se dele. Tudo o que tu te recusas em veemência a sentir se materializa e te prende – Sem opções de fuga.

Tua morada de morte é construída a cada ação em que negas as vestimentas de teu luto.
É assim difícil de perceber?

De um dos mestres

O sofrimento, ou a emoção negativa, é um mal virtual que se realiza quando não plenamente vivido. Ele se concretiza em nós, transmite-se para os outros, encarna-se no funcionamento patológico de um casal, de uma família, de uma organização, de uma sociedade. O mal materializa uma emoção negativa não liberada. Em vez de permanecer virtual, ser reconhecida e escutada como um sinal, uma mensagem, a emoção ganha corpo e se transforma no mal do mundo.

 

Publicado em

Sobre encontrar nossos heróis, e, especialmente, nossas heroínas

Passamos

Uma vida inteira atrás de heróis e heroínas que justifiquem nossos credos e crenças: por mais “meta humanos” (ou divinos) que os heróis e heroínas sejam, estes carregam um componente humano que é praticamente infalível em descrevê-los: eles são quase humanos e na maior parte das vezes podem morrer.

Me peguei pensando em heróis e heroínas na sexta feira passada:

Eu saia de um local onde um amigo passava por um perrengue dos grandes: realmente dos grandes – Daqueles que pode mudar o resto das nossas vidas. Seja por gratidão aos momentos que passamos juntos, seja porque inevitavelmente teremos de ser ainda melhores no que fazemos para estarmos aqui em paz.

Eu olhava ao meu redor e queria encontrar algo que pudesse fazer aquele amigo passar de um modo mais aceitável por aquilo, eu queria encontrar um herói ou heroína que fizesse aquilo tudo ser diferente, mas eu não achava.

Estava entorpecido

Pela minha cegueira habitual.
Somos todos cegos.
Sem exceção.
Não enxergamos o óbvio nem que ele seja escancarado em nosso ventre.

Eu estava diante de 2 heróis e não percebia. Quão estúpido preciso deixar de ser pra aprender?

Eles, ali diante de mim, eram os melhores heróis que eu poderia enxergar em muitas vidas. E eu não via.

Mas hoje vi. E agradeci. Por reconhecer, e, por deixar de ser cego.

Da mesma forma vi isso na Andi nos momentos que tivemos de superar a nós mesmos: foi tudo muito intenso e pesado. Mas passamos. E fomos nossos próprios heróis a cada instante. E em toda a vida.

A luta é sempre com nós mesmos: como podemos nos superar? Olhar pro lado não fará nossa lida ser mais fácil. Nem mais simples. Pelo contrário: aquilo que enxergas como desejável e que lhe faria ir adiante, possivelmente, te arruinará. Pare. Atente. Entenda. Enxergue. Sinta e viva.

Vejo

Heróis e Heroínas no presente e no passado:

  1. Pais
  2. Esposa
  3. Amigos
  4. Família
  5. Anônimos que reconheci

Estes são meus verdadeiros heróis. Não necessariamente nessa mesma ordem. Mesmo porque eles se confundem. E a todo instante agradeço por cada um deles me ensinarem a ser melhor. Melhor que eu mesmo.

Você também enxerga isso?

Ainda sobre heróis, não deixe de ver esse video aqui: