Publicado em

Sobre a impotência da companhia

Acompanhar um ente querido adoecido é tão dolorido quanto estar adoecido.
Sério mesmo. Algumas vezes penso que é até mais difícil do que passar pela doença.

A impotência

Quando você vê um ente querido adoecido você se desdobra para fazer tudo aquilo que não faria enquanto isso não ocorresse: é a louça que lavas com mais prazer, é o cuidado com o filho que fazes além do trivial, é o travesseiro que levas até a cama com grato prazer… Enfim, o trivial passa a fazer parte da rotina com ênfase muito aumentada.

O que dói de verdade, e muito mesmo, é a certeza da tua impotência perante a doença: absolutamente nada do que faças resolverá a situação da noite pro dia. Nada. Nada mesmo.

Hoje durante a quimioterapia, ao ir buscar a Andi, me senti um nada frente a tudo – Nada do que eu fizesse mudaria aquele cenário. É horrível sentir-se impotente frente a realidade. A dureza do que é machuca mais do eu poderia pensar.

A dor de tocá-la com a infusão do quimioterápico e sentir tudo o que ela sentia sem estar no lugar dela foi algo entre maravilhoso e extenuante – Me sinto parte dela nessa história e a dor é maior do que eu poderia sentir.

Em contrapartida

Em troca dos meus anseios e medos recebo dela todo carinho e reconhecimento que uma pessoa precisa: aquele sorriso que encanta à todos está ali presente nas minhas maiores dores, ainda que elas tenham origem nas ‘coisas’ dela.

Ela sorri e aquece meu coração. E o sorriso dela é algo que é fora do comum.
Ela realmente não tem clone nesse mundo. É de um calor sem igual. Uma onda de sabor. Um vento de desejos. Uma nuvem de alegria.

Se estiveres acompanhando alguém em situação semelhante

Atente para os detalhes:
Tudo, absolutamente tudo se define nos detalhes. O minuto de atenção, o pensamento em prol da cura, o beijo quente, a reza crente, a meditação profunda, enfim tudo faz diferença nessa hora.

Ser profundo é ser presente: esteja com a pessoa e sinta o quanto tua presença faz diferença para ela.

Ser raso é acreditar que não fazes diferença para ela.

Onde quer que você vá, vá com todo o coração.
(Confúncio)

Sentir é estar vivo

Quando interages com esse mundo o fazes por meio de teus sentimentos, ou seja, tuas emoções. A pele da tua alma são tuas emoções. E aqui te provoco: quais são teus sentimentos nessa hora? Desejas ser feliz mas a infelicidade te acompanha? Bem vindo ao clube, tens de ser feliz para que o universo retribua. A troca é essa.

Você não precisa disso ou daquilo pra ser feliz. Quando estiveres feliz aquilo ou isso lhe serão entregues. Inverta a equação e o universo lhe será entregue.

Difícil mas creio nisso

De Pierre Lévy:

Quando nos vemos de verdade, quando nos compreendemos, quando estamos em contato conosco mesmo e quando sentimos nosso coração, deixamos de projetar nos outros as necessidades de nosso ego. Podemos então ver o próximo como uma alma e não mais como conceitos, aparências ou julgamentos. A alma só existe por seus atos e suas afeições, o amor que dá a si mesma, o sofrimento que inflige a si mesma. A alma só existe na relação com o amor e o sofrimento. Navega entre dois estados: a ausência de si mesma e a conexão.

Publicado em

Outubro Rosa – Combate ao câncer de mama

Em outubro não se comemora apenas o Dia das Crianças. O 10º mês do ano também foi escolhido para representar a luta mundial contra o câncer de mama. Trata-se do Outubro Rosa, uma ação para conscientizar e mobilizar a sociedade ao combate à doença. A ação surgiu em 1997, nas cidades de Yuba e Lodi, na Califórnia e foi marcada pela iluminação de monumentos históricos com luzes  rosa  – desde então vários outros países aderiram à campanha. Até falando de saúde estamos sempre viajando pelo mundo.

Em terras brasileiras, durante todo mês, uma série de eventos vai colorir de cor de rosa alguns dos pontos mais importantes do país. No Rio de Janeiro, o símbolo escolhido foi o Cristo Redentor. Em São Paulo, são quatro: o Monumento das Bandeiras, o Prédio da BM&F, a esquina da Rua Oscar Freire com Haddock Lobo e o Shopping Iguatemi. Em Belo Horizonte, ficará cor de rosa o Museu de Artes e Ofícios. Em Recife, o Palácio do Campo das Princesas. Já em Blumenau será a Ponte do Centro. Na cidade histórica de Ouro Preto, a Igreja Nossa Senhora do Rosário será iluminada e, em Porto Alegre, serão o Monumento à Júlio de Castilhos e a Fundação Iberê Camargo.
A ideia é alertar a população sobre a importância da mamografia periódica para todas as mulheres com mais de 40 anos e do diagnóstico precoce. Lembrando que o exame mamográfico é o melhor meio para detectar tumores ainda em fase inicial, possibilitando a cura em até 95% dos casos. Segundo a American Cancer Society, cerca de 1,3 milhão de mulheres no mundo são diagnosticadas com câncer de mama anualmente e 465 mil morrem por causa da enfermidade. Detalhe: a doença ainda afetará a  vida de mais de 49 mil brasileiras até o final deste ano.

Publicado em

Semana Nacional do Combate ao AVC

A cada seis segundos, independentemente da idade ou sexo, alguém em algum lugar morre de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Isso, no entanto, é mais do que uma estatística de saúde pública. Estas são pessoas que, ao mesmo tempo, eram irmãs de alguém, irmãos, esposa, marido, filha, filho, parceiro, mãe, pai ou amigo. Eles existiam e eram amados.

O AVC é a segunda principal causa de morte entre pessoas acima dos 60 anos de idade, e a quinta causa principal causa dos 15 aos 59 anos. O AVC também afeta crianças, incluindo recém-nascidos. A cada ano, cerca de seis milhões de pessoas morrem de acidente vascular cerebral. Na verdade, o AVC é responsável por mais mortes anualmente do que as atribuídos à AIDS, tuberculose e malária juntos – três doenças que foram referências de sucesso em campanhas de saúde pública, capturando a atenção da mídia mundial e que, consequentemente, convocando líderes mundiais, governos e diversos setores da sociedade civil para agir. No Brasil, o AVC é a primeira causa de morte e incapacidade, com um enorme impacto econômico e social.

Atrás dos números existem vidas reais. A Organização Mundial de AVC (World Stroke Organization – WSO) está pedindo medidas urgentes para enfrentar a epidemia silenciosa, lançando a campanha “Um em cada seis” no Dia Mundial do AVC, 29 de Outubro. O objetivo da campanha é colocar a luta contra o Acidente Vascular Cerebral como tema central da agenda global de saúde. O tema “Um em cada seis” foi escolhido pelos líderes da WSO para destacar o fato de que no mundo de hoje, um em cada seis pessoas no mundo inteiro terá um AVC durante a sua vida. Todos estão em risco e a situação pode piorar com a complacência e a inércia.

Leia mais…

Publicado em

Anvisa lança banco de dados com informações e preços de produtos para a saúde

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lança, nesta terça-feira (14), um banco de dados inédito com informações e preços dos produtos de saúde comercializados no país.

A ferramenta irá permitir aos gestores da área de saúde comparar produtos e preços, praticados no Brasil e no exterior, de itens como marcapassos, stents e endopróteses vasculares.  Nesse primeiro momento serão disponibilizadas informações sobre cerca de 250 produtos da área de cardiologia.

O banco de dados faz parte de um acordo de cooperação técnica com a Agência Nacional de Saúde (ANS), que irá repassar as informações para as operadoras de planos de saúde, evitando assim aquisições com preços superiores aos praticados no mercado. O diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, e o diretor-presidente da ANS, Maurício Ceschin, participam da cerimônia de lançamento.

Serviço:
Lançamento do Banco de Dados de Produtos para a Saúde
Data:
14 de setembro, às 10h
Local: Auditório da Anvisa – SIA Trecho 5 , Área Especial 57, Brasília -DF

Anvisa – 13/09/2010