Publicado em

Quero mudar de carreira. E agora?

http://vocesa.abril.com.br/blog/marcelo-cuellar/?p=152

No post anterior falei um pouco sobre mudança de emprego. Mas e se sua dúvida for mais complexa do que isto? E se você quiser fazer uma mudança maior?

Você pode ter chegado a conclusão de que nasceu para outro tipo de carreira; que seu talento está sendo desperdiçado na sua atual empresa ou ocupação profissional e que se você fizer o movimento certo você poderá ser muito mais feliz do que é hoje. Loucura? Eu acho que não. Até porque – provavelmente – você deve estar certo.

Eu realmente acredito que no fundo as pessoas sabem para o que elas têm talento ou habilidade; o grande problema é que na maioria das vezes não sabemos como traduzir a este talento em uma profissão.

E por esta razão mudar de carreira não é uma coisa simples e pode ser considerado um processo de alto risco. As chances de você quebrar a cara podem ser grandes e provavelmente você terá que dar nem um nem alguns, mas sim MUITOS passos para trás. Você está disposto? Se sim, algumas dicas a seguir poderão lhe ser úteis.

A primeira coisa a fazer é descobrir se realmente esta nova profissão que tanto lhe chama a atenção é exatamente isso que você pensa que é, porque nenhuma profissão no mundo são apenas rosas. Por isto, vá procurar conhecer todos os detalhes da profissão que você quer abraçar. Busque conversar com os profissionais da área, saber como eles traçaram a carreira, quais as dificuldades e quais os melhores benefícios que a profissão pode trazer.

Se você já tem experiência profissional, antes de iniciar uma nova formação acadêmica voltada para a nova profissão que você busca, busque informações na internet, em blogs, busque literatura especializada como revistas e outras publicações do ramo. Isto porque uma formação acadêmica geralmente é bastante cara e demorada. Além disso, cursos acadêmicos tendem a dar foco na parte mais conceitual e técnica da profissão e isto poderá lhe desanimar a mudar de profissão.

Outro ponto importante é que – na grande maioria das vezes – alguma coisa de sua profissão atual ou anterior você poderá utilizar em sua nova empreitada. Conhecimento nunca é demais, ele é adaptável.

Depois desta primeira etapa, se você ainda achar que este profissão é o que você de fato quer fazer, prepare-se para fazer a mudança. Assim, a segunda coisa a fazer é se preparar para fazer a mudança de profissão. esta preparação poderá ser financeira. Isto mesmo, juntar dinheiro, fazer uma poupança e reduzir o padrão de vida. Isto porque você não acha que vai mudar de profissão e de cara sair ganhando o mesmo dinheiro que você ganha hoje em sua profissão já consolidado, não é mesmo? E este é um fator de sucesso, porque um começo difícil sem uma reserva financeira pode jogar seu sonho de mudar de profissão no lixo.

A terceira coisa a fazer é buscar trabalhar na área. Inicialmente você poderá atuar aos finais de semana ou mesmo em horários complementares ao seu trabalho atual. Você também poderá trabalhar como um aprendiz junto a algum profissional experiente na área que você quer abraçar, ajudando-o como mão-de-obra extra e recebendo em troca conhecimento.

Busque também se entrosar no meio profissional de sua nova atividade, assim você com certeza conhecerá “atalhos” para fazer uma transição de carreira mais tranqüila.

São diversas histórias bem-sucedidas de profissionais que trilharam este caminho com sucesso: advogados que viraram professores de cursinho, pilotos que viraram executivos de grandes empresas, nutricionistas que se tornaram músicos e até histórias mais incomuns como a de alguns componentes do Cirque du Soleil.

O mais importante é que as noites de domingos não podem gerar um sentimento de tristeza e aflição pela espera de retornar ao trabalho na segunda-feira.

BOA SORTE!!