Publicado em

“Em cada medicamento que alivia as dores da humanidade está a ciência do farmacêutico.”

Em 20 de janeiro comemora-se o dia do Farmêutico…

Os farmacêuticos são profissionais da saúde de tradição milenar, sucessores dos boticários, experts no uso de fármacos e medicamentos e suas consequências ao organismo humano ou animal. De uma maneira geral, podem trabalhar numa farmácia, hospital, na indústria, em laboratórios de análises clínicas, cosméticos, distribuição, transporte e desenvolvimento de medicamentos, entre outras funções e lugares.

Peritos no desenvolvimento, produção, manipulação, seleção e dispensação de medicamentos, este profissional, presta o trabalho de assistência farmacêutica, e pode assumir responsabilidade técnica de laboratórios de análises clínicas, distribuidoras, farmácias, etc. Podem também atuar na pesquisa e controle de qualidade de hemocomponentes e hemoderivados. No Brasil, podem exercer cerca de 71 atividades diferentes.  http://pt.wikipedia.org

Alguns Farmacêuticos Famosos e seus “feitos para a sociedade”:
Grandes sábios e importantes cientistas que muito contribuíram para a saúde da humanidade eram farmacêuticos.
Farmacêutico francês, Ernest Furneau criou a moderna quimioterapia, e outro francês, Claude Nativelle, que contribuiu decisivamente para o tratamento de doenças do coração.
O farmacêutico alemão Andreas Sigismund Margraf (1709-1782), entre muitas outras contribuições, introduziu o álcool como solvente para extração de matéria-prima e empregou o microscópio para exames de cristais de açúcar e outras partículas.
A borracha sintética foi descoberta pelo farmacêutico alemão Fritz Hoffmann.
O farmacêutico Luiz Manuel Queiroz instalou no Brasil a primeira fábrica de ácido sulfúrico do país.
O cientista-farmacêutico Célio Silva, descobriu uma vacina de DNA contra tuberculose que também é um remédio para esta doença.
O farmacêutico John Pemberton em 1886 em Atlanta criou o “Tônico para o Cérebro” hoje conhecido como Coca Cola.
Um grande número de farmacêuticos participam do importante “Projeto Genoma Humano” para decifrar o conjunto de genes do ser humano (menor partícula viva). E que eles vão obter informações essenciais para diagnóstico, tratamento e, finalmente, cura de um grande número de doenças e a fabricação de remédios mais eficientes e a menores custos.

O farmacêutico Alexander Flemming, (1881-1955) descobriu a penicilina. Foi através da observação do fungo Penicillium notatum que crescia como contaminante em culturas de estafilococos que ele estudava. O crescimento do contaminante liberava a penicilina, antibiótico que impedia o desenvolvimento destas bactérias nas proximidades da colônia do fungo. Esta observação trouxe grandes benefícios para o desenvolvimento da industria farmacêutica.Embora não tenha exercido sua profissão por muito tempo, nosso grande poeta e escritor Carlos Drumond de Andrade também era um farmacêutico.Farmacêutica Maria da Penha se tornou símbolo do combate à violência doméstica no Brasil. Tem uma lei com seu nome.Farmacêucico Argentino Alberto Granado, era amigo de Che Guevara e juntos fizeram uma viagem de moto em 1952 pelas americas visitando leprosarios. Esta viagem serviu de tema para o filme Diários de Motocicleta.

http://www.netwise.com.br/lagoadaprata/robson/curiosidade.html#famosos

Parabéns a todos os farmacêuticos!!!!

Andiara

Publicado em

Remédios falsos – uma praga para ricos e pobres

Quando o assunto é cocaína e heroína, a tolerância é sempre zero, ao contrário do que acontece com falsificação de medicamentos. Nesse terreno, leniência tem sido o nome do jogo. Quantos “spans” de um Viagra mais que suspeito a precinho de ocasião desfilam em sua caixa postal? Dá pra comprar de tudo que é jeito e largam dentro da tua casa. No mundo todo, a indústria farmacêutica pressiona pra que os governos sejam mais severos com os  counterfeits. Até a igreja entrou na briga, via um comunicado do papa colocando a luta contra as falsificações como uma prioridade. E faz todo o sentido. A ordem do dia é investir em desenvolvimento tecnológico pré dificultar a vida dos criminosos – por uma simples questão: medicamento falso, diferente de um CD ou de um perfume, mata. Remédio falso é sinônimo de país pobre – ledo engano. Segundo John Clark, Vice President e CSO da Pfizer Global Security, no Canadá e os EUA, considerados países “seguros”, Viagra está no topo da lista das imitações vendidas a preço baixo. Falsificações de Lipitor®, Norvasc®, Zithromax® foram encontradas em 44 países, vendidos em redes de farmácias “confiáveis” (mais de 11 milhões de cápsulas e tabletes rastreados pela Pfizer). A coisa banalizou de uma forma, que um estudo financiado pela própria Pfizer mostra que metade dos consumidores europeus em 14 países têm habitualmente obtido medicamentos por canais “ilícitos”. Isso tudo movimenta um mercado de cerca de 12,8 bilhões de dólares.Pra conter esse tsunami, da mesma forma como pressionam os governos pra que se posicionem, empresas inovadoras correm para desenvolver softwares e processos de rastreamento cada vez mais incríveis. A IBM lançou um chip identificador por radio freqüência (RFID), uma espécie de “detector de fakes”, a ser impresso na embalagem dos remédios. Abbott e 3M fizeram o mesmo. Em país pobre, cada um se defende como pode – Uma empresa africana chamada mPedigree (Gana) criou um jeito de usar o celular para detectar falsificações – um selo em alto relevo no topo da caixa é raspado pelo consumidor, que passa uma mensagem com o código impresso por baixo da raspagem para uma central – essa informa se o remédio é falso ou não.  A Nigéria, país vizinho que sofre com medicamentos falsos, gostou da coisa e vai implantar. O importante é dificultar – quanto mais caro e complexo for para um vigarista falsificar um remédio, mais ele vai ter que mudar seu “ramo” de negócios, diversificar – ainda que seja crime injustificável, falsificar sapatos, bolsas femininas e perfumes, não mata ninguém. Acabar, não acaba, minimiza – mas é sendo é com intolerância que se combate as pragas.

Fonte: The Economist – set/2010 & Wikipedia.

Postado por Se Espirrar, Saúde às 02:23

Publicado em

Prêmio reconhece trabalhos sobre uso racional de medicamentos

Estão abertas, até o dia 15 de setembro, as inscrições para o Prêmio Nacional de Incentivo ao Uso Racional de Medicamentos. Criado em 2009, o Prêmio visa reconhecer o mérito de experiências e estudos voltados à promoção do uso racional de medicamentos importantes para a saúde pública e o trabalho de profissionais que buscam garantir o direito à vida.

O Ministério da Saúde instituiu o prêmio como forma de compartilhar o conhecimento e de incentivar a produção técnico-científica na área com aplicação no Sistema Único de Saúde (SUS). É uma iniciativa do Comitê Nacional para a promoção do Uso Racional de Medicamentos, do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (DAF/SCTIE/MS).

O Concurso está dividido em seis categorias: Experiência bem sucedida de profissionais nos serviços de saúde; Tese de doutorado; Dissertação de mestrado; Monografia de especialização e/ou residência; Trabalho em nível de graduação; e Trabalho desenvolvido em: entidades/instituições; meios de comunicação; e no âmbito da cultura.

Para mais informações, leia o Edital.

Postado em 27/08/2010 – ANVISA.

Publicado em

Mercosul poderá ter Farmacopéia única

Representantes do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai se reuniram para discutir a criação de Farmacopéia única para o MERCOSUL. De acordo com a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), o encontro especifica os requisitos mínimos para fabricação e o controle da qualidade de medicamentos utilizados nos países.

Os estados parte do Mercosul já aprovaram a elaboração de uma proposta conjunta para o desenvolvimento da farmacopéia para o bloco econômico, com foco em uma menor dependência da importação de substâncias químicas de referência de outras farmacopéias, o que proporcionaria menor custo financeiro na aquisição das mesmas.

Saúde Business Web 23/08/2010

Publicado em

FARMAPOLIS 15ª edição

De 12 a 14 de Novembro de 2010, farmacêuticos e farmacêuticas de todo o Brasil e da América Latina se encontrarão em mais uma edição do FARMAPOLIS. Ao longo de mais de uma década, os nossos eventos vem atraindo profissionais dispostos a serem protagonistas da sua própria história e da história da nossa profissão.

As muitas áreas em que atuamos fazem desta nossa profissão um oceano de oportunidades de intervenção na realidade, seja na área de medicamentos, alimentos ou análises clínicas.

Com as atividades envolvidas no XV Encontro Estadual de Farmacêuticos e Bioquímicos, no XIII Congresso Catarinense de Farmacêuticos e Bioquímicos, no VII Encontro de Farmacêuticos do Mercosul  e  no V Encontro de Farmacêuticos do SUS, os profissionais tem um Encontro com a Saúde ao chegarem em Florianópolis para participarem do FARMAPOLIS.

Inscreva seus trabalhos científicos até 15 de setembro. Participe dos cursos, conferências, mesas redondas, simpósios e da programação paralela. Visite a Feira de Serviços e Produtos. Convide colegas e venha participar de mais esse momento de construção da história da profissão farmacêutica e da saúde.

Venha fazer parte do XV FARMAPOLIS!

Caroline Junckes da Silva – Presidenta do Sindfar/SC  e do XV Farmapolis
Hortência Salett Muller Tierling – Presidenta do CRF/SC