Publicado em

O Autor de seu próprio caminho

Você aceita ser seu próprio autor?

Digo ser o principal condutor de seus próprios passos?

A pergunta parece simples, mas embute uma pegadinha que não estamos habituados a concorrer: você se vê olhando para terceiros para definir seu destino? Não? Nem Estado, Família, Amigos, Chefe, nem terceiros de uma forma em geral?

Avalie com sinceridade se não há em teu ser algo que te move para blasfemar contra terceiros, contra aqueles que justamente aí estão para tornar teu caminho mais árduo e, desse modo, mais frutífero nos teus engrandecimentos.

A Liberdade

Os testes que aceitas (ainda que inconscientemente) fazer são justamente aqueles que te aproximam do caminho da liberdade. Estar ciente, a todo momento que essa capacidade de aceitar os desafios – ou mesmo fugir deles – é o que te coloca no caminho da liberdade.

O oposto disso, se resignar, se lamentar por essa ou aquela situação, em contrapartida, te distância de ti mesmo e teu propósito.

Te pergunto: Que queres aqui?

Ser bom pai ou mãe? Ser um excelente profissional? Fazer a diferença no mundo?

Sim?

Então aceite tudo aquilo que aqui está e mude aquilo que acreditas que seja possível. A começar por ti mesmo.

Um depoimento

Há poucos anos tinha, em meu limite, míseros 113 Kg. Do alto de meus 1,80 m era peso a beça para carregar – assim como muito do vinha carregando até então.

Ao aceitar tudo o que passei desde então optei por fazer nada mais do que aceitar minhas limitações e batalhas.

Ganhei. Ganhei de mim mesmo pois nunca achei que venceria as batalhas que venci.

Das superações que tive o privilégio de vencer, acompanhar a Andi nas batalhas dela foram as que mais me fizeram crescer.

Muitas vezes as batalhas que precisas vencer não são as tuas. São as daqueles que acompanhas. Noutras, por certo, somente as tuas.

Nadar e Correr

Tenho comigo que o Futebol, Basquete e, de forma gral, os esportes coletivos são os que mais me atraiam. Ainda os adoro como se fossem os meus únicos amores.

Mas ao aceitar minhas limitações (hérnias na coluna e o tempo insuficiente para encaixar com os coletivos) me vi de frente com a possibilidade de me encontrar.

Ao decidir NADAR há 4 anos, por conta também da coluna, aprendi o valor da água e do respirar. Há quanto prazer encontro ao estar comigo mesmo na água e saber que toda meta, desafio e dificuldade depende de mim, e APENAS DE MIM para serem vencidos.

Em 2017 resolvi correr.

1 metro de cada vez. Todos os dias. Com chuva, sol, calor ou frio.

Aquilo me libertou de mim mesmo. Hoje, embora pouco para meus anseios, 10 km são minha glória. Minutos, dores e prazeres que passo comigo mesmo.

Nisso, crescemos juntos. Nesse fim de semana a Andi fará sua primeira competição de corrida, e o prazer de poder acompanhá-la não tem preço. Tem um único valor: glória aos momentos de dificuldades que passamos juntos.

Tu entendes a satisfação de acompanhar alguém em sua própria glória? Sim? Sinta-se abençoado por isso!

O que você escolhe? Ser vítima “disso tudo”? Ou ser o protagonista de uma história que lhe agradaria em ouvir?

De ti para ti mesmo

Cada dor que sentes, cada situação que pensas ‘não queria estar assim, ou aqui’ é uma mensagem de ti mesmo para teu crescimento. Teu crescimento depende dessa interpretação para crescer. Nada vem do outro. Pare de ouvir a TV, o rádio, os outros e te concentre em ti mesmo. Tuas dores são teu plano de crescimento. Não dependem de ninguém além de ti.

E se você parasse para se ouvir? E se entendesse como lhe expresso essas singelas palavras? Seria diferente?

E se fores a Perfeição?

Cada dia que não percebes a perfeição que há em ti, e naqueles que te cercam tornam-se a maior dor que podes sentir pois perde-se na incapacidade de perceber o óbvio: és a perfeição da tua própria existência.

Esse sofrimento vem da incapacidade de perceber que tens tudo. És tudo o que precisas.

Aqueles que te rodeiam também o são.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *